6 – PADRE DOMÊNICO CRISTÓFANO – DE NAZARÉ À JARINU E À RORAIMA

PADRE DOMÊNICO CRISTÓFANO

DE NAZARÉ A JARINU  E A RORAIMA,

EXTREMO NORTE DO BRASIL

  1. Um Padre com forte “vocação missionária”:

O Padre Domênico Cristófano, italiano, nascido em Cercemaggiore em 1939, ordenado sacerdote na Itália em 1969, veio em missão ao Brasil em 1971 a serviço de sua congregação, a dos Padres Somascos”.

Serviu inicialmente no Rio de Janeiro, na Paróquia do Bonsucesso, onde trabalhou com o Padre Líbero Zapone por um ano e meio; foi transferido por sua congregação para Presidente Epitácio, depois para Tarabay região de Presidente Prudente onde foi pároco por dois anos; enviado para Santo André lá permaneceu por cinco anos, vindo para a Diocese de Bragança onde serviu na paróquia de Vila Aparecida e  na partóquia de Santa Luzia, depois em Socorro como coadjutor do Padre Líbero de 1982 a 1984.

De 1984 a 1989 foi pároco da Comunidade de Nossa Senhora de Copacabana em Pinhalzinho. Retornou à Itália, assumindo a paróquia de São Miguel Arcanjo na cidade de Baranello por um ano, retornando ao Brasil em 1991, indo trabalhar por três anos na paróquia de São Pedro Apóstolo em Piracicaba.

Regressando à Diocese de Bragança, foi empossado como Pároco da igreja Nossa Senhora de Nazaré em 1º de maio de 1994. Em 28 de outubro de 2001 assumiu a Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Jarinu. E, no final deste ano, 2005, candidatou-se voluntariamente para seguir em missão, por três anos, prorrogáveis por outro igual período, para o longínquo Estado de Roraima na região Amazônica e no extremo norte do país.

  1. O Projeto Missionário Sul 1 – Norte 1:

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), através da sua Regional Sul 1 mantém um compromisso denominado “Projeto Missionário Igrejas Irmãs, em que o Sul 1 (Estado de São Paulo) se torna igreja irmã do Norte 1 (Estados do Amazonas e de Roraima) pelo qual se compromete a enviar e manter naquela região sacerdotes e religiosos para servir temporariamente em dioceses e paróquias da região norte que sejam consideradas carentes de sacerdotes a serviço do Reino de Deus na Amazônia.

Foi através desse projeto que o então Padre José Maria Pinheiro, nosso atual Bispo Diocesano, seguiu para servir por dois anos na Prelazia de Itacoatiara, no Estado do Amazonas, e por aquela região permaneceu por vinte anos, servindo também em Colorado do Oeste, na Diocese de Guajará Mirim, no Estado de Rondônia, já então como monsenhor e Bispo Auxiliar.

  1. A aprovação do pedido:

Apesar da também carência de sacerdotes na nossa Diocese e da situação de completa adaptação e aceitação do Padre Domênico pela comunidade Jarinuense, à frente da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, a sua candidatura em servir na Amazônia foi aceita pelo COMIRE (Conselho Missionário Regional), cujo Presidente é o próprio nosso Bispo Diocesano D. José Maria Pinheiro, e pelo COMINA (Conselho Missionário Nacional), presidido pelo Bispo D. Sérgio Eduardo Castriani.

Assim sendo, já foi designado para substituir o Padre Domenico na Paróquia N. Sra. do Carmo em Jarinu, o Padre Luiz Henrique que atualmente é o pároco da Igreja Cristo Rei, em Alvinópolis, Atibaia. A sua posse foi no dia 05 de março de 2006, às 19,30 horas, em Jarinu.

Já o Padre Domênico teve a sua solenidade de “envio”, ou seja de despedida, no dia 04 de fevereiro de 2006, sábado, na Igreja de São Judas, no Bairro de São Judas, em São Paulo, às 15,00 horas, para cuja solenidade contou com a presença de seus amigos e paroquianos dos lugares por onde passou.

Neste mesmo dia o Padre Domênico seguiu juntamente com outros dois padres missionários e três religiosas, para Brasília, DF, onde cursaram um estágio preparatório para a missão na Amazônia. Em março, seguiram para seus destinos definitivos.

  1. A futura Paróquia do Padre Domenico:

Dom Roque Paloschi, Bispo da Diocese de Roraima, em carta dirigida ao Dom José Maria, manifestou a sua alegria e vibração com a designação do Padre Domênico e destinou ao mesmo as Paróquias de São João Batista no Município de Caracaraí, a margem do Rio Branco, rio que corta aquele Estado de Roraima e banha a sua Capital, a cidade de Boa Vista.

O Estado de Roraima é originário do antigo Território do Rio Branco e que passou a unidade da federação como Estado em 1988. Limita-se ao norte com a Venezuela, a leste com a Guiana e a sudeste e sul com o Pará e o Amazonas. Possui 15 municípios, uma área de 225.116 km2 e uma população de 382 mil habitantes, dos quais aproximadamente 45.000 indígenas distribuídos em cerca de 200 aldeias. Essa população é composta singularmente pelos povos indígenas e também pelos imigrantes advindos de outros estados da federação, principalmente do Maranhão e da região Amazônica.

A capital do Estado, Boa Vista, é ligada a Manaus pela rodovia BR 174numa distância de 785 Km; dista de Brasília 4.275 Km.

O município de Caracaraí, para onde foi o Padre Domênico situa-se na parte central do Estado, distante 134 quilômetros da capital, Boa Vista, às margens do Rio Branco, rio este que deságua no Rio Negro, divisa com o Estado do Amazonas e que, com as águas do Rio Solimões forma o grande Rio Amazonas.

Caracaraí tem uma área de 47.623 km2 e uma população de 17.746 habitantes. A população é quase igual ao do nosso município de Nazaré Paulista (16.126), mas a sua área é 145 vezes maior do que a nossa (327 km2). Está situada a uma altitude de 52 m e com temperatura variando de 20 a 38 graus. Conta com inúmeras pequenas vilas e povoados ao longo do curso do Rio Branco, e que serão objetos das visitas missionárias do Padre Domenico. A cidade situa-se acima da linha do equador e portanto, já no hemisfério norte. O Estado todo compreende uma só Diocese e conta com somente 9 (nove) padres diocesanos.

  1. O interesse e ardor Missionário além-fronteira:

Em 2005, em viagem ao Estado de Rondônia, em Guajará Mirim, acompanhamos o Padre Domênico na comemoração das Bodas de Prata da ordenação episcopal de Dom Geraldo Verdier, bispo daquela diocese, e um dos consagrantes da ordenação episcopal de Dom José Maria, ocasião em que pudemos observar o interesse do padre por culturas, terras e realidades diferentes e de sua característica e natureza missionária. Seu ideal é o de vir a servir determinada comunidade, nela implantar o seu jeito de evangelizar, congregar seus fiéis, realizar as obras estruturais, implantar os serviços, movimentos e pastorais, e depois, estando tudo pronto, partir para novas missões.

Perguntado, respondeu que ao se ordenar presbítero, colocava-se em missão para servir e amar a igreja de Jesus Cristo onde fosse chamado e onde houvesse a oportunidade de servir e de aprender, de se por a serviço e a caminho junto a Jesus e junto às diferentes comunidades, promovendo um só espírito de solidariedade, de fraternidade, de partilha e de fração do pão eucarístico.

  1. Os votos desejados de Sucesso e de Felicidades ao Padre Domenico:

Bandeirantes de outrora partiram dessa terra de Piratininga e se aventuraram pelo interior brasileiro e chegaram até os longínquos rincões amazonenses. E o Brasil de agora muito se lhes devem.

Tal como aqueles, seja o Padre Domenico um nosso missionário, ou melhor dizendo, um missionário de Jesus Cristo que segue por diferentes terras anunciando a boa-notícia a outros povos. Coragem, obstinação e disponibilidade são suas grandes qualidades e virtudes. Idealismo em alimentar a esperança de um mundo melhor, onde todos, brasileiros do sul ou do norte, vivam como irmãos. Exemplo de missionário que segue anunciando o Evangelho às várias realidades, aos diversos povos e lugares onde ele ainda não é bem conhecido ou tenha sido esquecido.

Que seja profícuo e eficiente em sua nova missão, padre Domenico. Nós, seus irmãos nazareanos, jarinuenses e de outros lugares ficamos torcendo por seu sucesso. Que transmita aos seus novos paroquianos, os “caracaraienses” que, também desejamos ser e pertencer a uma mesma família de Deus, irmãos em Cristo!

  1. O regresso de Roraima e a aposentadoria.

Em Roraima, o Padre Domênico trabalhou entre 2006 a 2009, e vencido o seu tempo de pastoreio, após contrair uma moléstia em sua mão, regressou à sua diocese de origem, Bragança Paulista, sendo designado novamente para a paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Jarinu, lá oficiando de 2009 a janeiro de 2013, quando teve concedida a sua aposentadoria, tornando-se Padre Emérito e passando a residir em sua casa em Bragança Paulista. Desde então presta auxílio aos demais padres da diocese, oficiando missas nos seus impedimentos e nas Capelas das Paróquias por onde passou, em especial nas de Nazaré.

Padre Domênico: Tenha consigo, sempre, nossa sincera amizade e imensa gratidão!

Nazaré Paulista, abril de 2016.

Oscar Teresa Pinheiro do Carmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *